Como lidar com a insatisfação no trabalho? Descubra aqui!

Quem nunca ouviu alguém dizer a famosa frase que “dinheiro não é tudo”? Quem não se sente realizado com o trabalho que o diga. Observo pessoas que escolhem a profissão baseadas na média salarial da carreira e quando não alinham isso a algo que gostam de fazer, se frustram. Essa é apenas uma hipótese que desgasta a relação trabalhista. Escrevi este texto para você superar essa situação, independente da origem.

Muitos fatores deixam o emprego cansativo e aborrecedor, o fato é que pode ser difícil saber como lidar com a insatisfação no trabalho. Essa é uma das características que apontam para uma mudança de carreira, mas só você saberá qual é o seu caso. Independente da sua decisão, confira algumas dicas para aumentar seu bem-estar e qualidade de vida.

Entenda o real motivo da insatisfação no trabalho

Enquanto alguém pode não se sentir reconhecido pelas tarefas que executa, talvez você não goste da rotina monótona que sua ocupação confere. Será que é a sua relação com alguém desagradável que desmotiva você a “vestir a camisa” da empresa? Sugiro que você anote em um papel as circunstâncias-chave que impedem o seu desenvolvimento pleno no trabalho.

Agora use os 5 porquês para cada tópico anotado, essa é uma técnica é aplicada para encontrar a causa raiz. Desenvolvida por Taiichi Ono, do sistema de produção da Toyota, as respostas tendem a seguir um padrão. Funciona assim: você explicará cinco vezes seguidas o porquê da resposta dada. O caminho que apresento abaixo não é um roteiro, mas uma tendência:

  1. apresenta-se um sintoma: eu fico desmotivado de entregar um serviço melhor;
  2. descobre-se o motivo: porque fico desmotivado? Não sinto que meu trabalho é reconhecido;
  3. apresenta-se um culpado: porque meu trabalho não é reconhecido? Meu chefe não vê a eficiência das minhas tarefas;
  4. encontra-se uma causa: porque meu chefe não vê a eficiência? Tenho dificuldade de apresentar meus resultados;
  5. descobre-se a causa raiz: porque tenho dificuldade em apresentar meus resultados? Preciso trabalhar o meu marketing pessoal.

Tenha uma conversa aberta com seu chefe

Depois de descobrir quais são as questões que atrapalham seu desempenho, procure seu superior para uma conversa. Sei que nem sempre é fácil dialogar com os patrões, principalmente sobre esse assunto. Tome a iniciativa e aproveite para mostrar proatividade. Primeiro marque a conversa, esse não é o tipo de informação para enviar por e-mail ou abordar no corredor.

Pense nas possíveis soluções para a sua causa raiz, fale sobre elas com o seu chefe, isso indica que você tem responsabilidade e não está procurando um culpado. Mostre o quanto você poderá ser mais produtivo, assim, seu patrão entenderá que a questão apresentada está voltada para as melhorias da empresa.

Identifique se é realmente isso que você gosta de fazer

Antes de exercermos uma função, é comum idealizarmos a rotina. Você já observou como as crianças gostam de policiais e garis? São profissionais que atuam na rua, mas grande parte do que eles supostamente fazem povoam apenas o imaginário. Vejo muitas pessoas que se distanciam da realidade profissional enquanto se especializam na área desejada. Talvez seja hora de uma reflexão.

É realmente isso que você quer fazer? Defina o grande propósito que leva você a desempenhar as suas funções. Antes que você procure o RH e peça demissão, analise se você tem condições financeiras para arcar com a mudança ou se não conseguiria implementar um plano B para fazer essa transição depois. Considere também qual será a reação da família.

Descubra razões para se entusiasmar caso permaneça

Lidar com a insatisfação no trabalho não significa necessariamente pedir demissão e seguir um novo caminho. Vejo pessoas que conseguem se reencontrar na mesma carreira, dentro do mesmo emprego. Procure quebrar paradigmas. A questão envolve uma pessoa com energias negativas? Evite-a e, caso não seja possível, aceite as limitações da pessoa, mas não sua mensagem ou atitudes.

Reveja suas funções e atenda a um cronograma real. Desenvolva as habilidades necessárias para um serviço de excelência. A cada entrega, comemore. Charles Duhigg, autor do livro O poder do hábito, diz que “pequenas vitórias alimentam mudanças transformadoras, elevando vantagens minúsculas a padrões que convencem as pessoas de que conquistas maiores estão dentro de seu alcance.” Portanto, faça uma revolução interna!

Reveja sua agenda pessoal

Outro fator para um trabalho prazeroso, mas que não está diretamente vinculado a ele é a sua vida social e pessoal. Pense nas suas ações extraprofissionais, como elas têm acontecido? Você fez algo que realmente desejava? Tem pessoas que acreditam ter uma boa relação com os amigos e a família, mas só mantêm contato pelas redes sociais.

Assim, quando der, saia da rotina! Leve a família para conhecer um novo lugar ou visite alguém que você não vê faz tempo. Existe vida além do trabalho, e ela também precisa de atenção e gerenciamento. Cuide do seu corpo para não sobrecarregar a mente, mantenha uma alimentação saudável e pratique atividades físicas regularmente.

Considere se recolocar no mercado

Nem sempre é viável continuar em um emprego quando você percebe que isso compromete seu bem-estar e sua saúde. Se esse for o seu caso, é hora de pensar em uma mudança. Lidar com a insatisfação no trabalho não pode significar trabalhar insatisfeito. Quando a sua vida profissional compromete a sua felicidade, inclusive na própria carreira, é hora de mudar.

Antes de fazer um currículo e distribuí-lo, entenda mais sobre você mesmo. Quais são seus maiores sonhos e habilidades? Quais obstáculos impedem você de alcançar a carreira ideal? Depois de descobrir a profissão que você deseja seguir, pesquise como é o mercado. Faça um levantamento das ofertas de vagas, faixa salarial, maiores desafios e oportunidades que profissionais atuantes apontam.

Se você leu até aqui, viu como apresentei diversas perspectivas e soluções de como lidar com a insatisfação no trabalho. Eu acredito que para essa situação é possível se reciclar dentro do mesmo trabalho ou trabalhar para uma mudança de carreira. No último caso, como coaching vocacional, sugiro que você não queime etapas, desenhe uma saída deixando a porta aberta.

Nesse momento de reavaliar sua carreira e encontrar um trabalho no qual você se motiva sempre com novos desafios, gerenciando sua receita e conquistando o tempo para a família, considere a oportunidade do coach. Baixe o e-book “Por dentro do coaching vocacional” e saiba mais sobre oportunidades e estratégias dessa profissão.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X