Como usar a meditação mindfulness para o coaching? Descubra agora!

Com suas origens em filosofias antigas, a meditação mindfulness, ou atenção plena, é uma forma de desenvolver uma consciência profunda sobre os sentidos e estar focado no momento presente.

A sua prática é realizada por meio de exercícios que têm como base a respiração e a percepção. Ela proporciona diversas vantagens para os adeptos, como a melhoria da qualidade de vida e o aumento da produtividade no trabalho.

Neste artigo, apresentaremos os principais benefícios da mindfulness e mostraremos como ela pode ser usada no processo de coaching. Leia e aproveite!

Quais são os benefícios da meditação mindfulness?

Existem diversos estudos sobre as vantagens que a meditação mindfulness traz aos praticantes. Muitos dos benefícios já são cientificamente comprovadas e podem contribuir de forma decisiva para o crescimento pessoal e profissional. Alguns deles são:

  • redução da ansiedade e do estresse;
  • autoconhecimento físico e emocional;
  • autoconfiança;
  • maior concentração e foco;
  • diminuição de desconfortos físicos;
  • aumento da segurança na tomada de decisão;
  • melhoria do humor;
  • resiliência em situações de pressão;
  • desenvolvimento da criatividade.

Como o coach pode usar a meditação mindfulness?

Os benefícios proporcionados pela mindfulness podem ser muito úteis durante o processo de coaching, pois, são fundamentais para a evolução pessoal e profissional.

A técnica pode ser usada para o desenvolvimento dos seus clientes por meio da meditação tradicional ou de exercícios baseados nos princípios de atenção plena. A seguir, explicaremos cada uma dessas formas.

Meditação mindfulness formal

A meditação em seu modo formal pode ser guiada durante as sessões em um primeiro momento e depois praticada diariamente pelo cliente. Ela consiste em:

  1. escolher um espaço silencioso, onde não exista a possibilidade de interrupções;
  2. encontrar uma posição confortável, sentado ou deitado, com os olhos abertos ou fechados;
  3. observar o corpo e as sensações, como é o contato do corpo com as superfícies, qual é a temperatura da pele, a posição dos membros e, por fim, focar na respiração.
  4. quando algum pensamento trouxer distração, reconhecer a existência, deixar passar e voltar a prestar atenção na respiração;
  5. depois de focar algum tempo na respiração, voltar a atenção novamente para as sensações corporais.

O tempo de realização da meditação pode ser curto ou longo. No início, práticas curtas podem ser mais indicadas, pois, manter o foco nas sensações e na respiração pode ser desafiador e desgastante, mas com o tempo a atenção se torna mais profunda e elas podem ser mais longas.

Exercícios baseados nos princípios da mindfulness

Os benefícios da mindfulness também podem ser conquistados por meio de exercícios baseados nos princípios da atenção plena.

Assim como a meditação em sua forma tradicional, alguns deles podem ser utilizados durante as sessões e com o tempo praticados individualmente.

A seguir, apresentaremos alguns exemplos de práticas que podem ser guiadas ou indicadas para serem realizadas como parte da rotina do cliente.

Focar na respiração

Este exercício pode ser feito em qualquer lugar e dentro do tempo disponível, seja por um minuto, seja por meia hora. Ele é ideal para buscar o equilíbrio em situações de estresse e obter foco para realizar as atividades sem deixar as emoções atrapalharem.

Essa prática consiste em:

  1. inspirar e expirar lentamente em ciclos de aproximadamente seis segundos;
  2. deixar o ar sair e entrar naturalmente, sem forçar;
  3. manter o foco apenas na respiração.

Observar de forma profunda

Com este exercício, de uma forma simples e poderosa consegue-se melhorar a percepção, a atenção e o foco. Ele tem como objetivo observar os elementos a nossa volta de forma profunda e notar os detalhes que normalmente passam despercebidos na correria do dia a dia.

O exercício é baseado em:

  1. escolher algum elemento do ambiente. Pode ser, por exemplo, uma cadeira, uma luminária ou uma árvore;
  2. relaxar e olhar atentamente para o elemento escolhido pelo tempo que a atenção permitir;
  3. explorar cada vez mais profundamente seus detalhes até estar imerso na observação.

Ter consciência plena ao realizar ações simples

Esta prática visa realizar tarefas simples buscando a consciência plena ao fazê-las.

Realizamos a maior parte das tarefas diárias de forma automática. Lavar as mãos, abrir uma porta, ligar o computador ou escovar os dentes, são ações que na maioria das vezes fazemos sem atenção.

Para a sua realização deve-se:

  1. eleger uma atividade, por exemplo, escovar os dentes, e focar toda a atenção nesta ação quando ela estiver sendo realizada;
  2. dedicar esse tempo apenas a esta atividade, sem tentar fazer outra coisa ao mesmo tempo.
  3. focar em todas as sensações e movimentos presentes na atividade. Por exemplo, ao escovar os dentes, focar nos movimentos das mãos, no contato das cerdas com a gengiva e assim por diante.

Ouvir atentamente

O objetivo deste exercício é ouvir de uma forma atenta, neutra e livre de preconceitos relacionados a experiências passadas com determinados sons.

Basicamente, deve-se:

  1. escolher uma música que nunca foi ouvida, sem julgar gênero, artista ou título;
  2. fechar os olhos e explorar todos os aspectos das ondas sonoras sem qualquer julgamento;
  3. prestar atenção em cada instrumento que compõem a melodia e tentar separá-los mentalmente;
  4. concentrar-se nas nuances da voz, se existir mais de uma também tentar separá-las.

Perceber e apreciar

Este exercício tem o objetivo de melhorar a percepção e a compreensão sobre vários elementos que são fundamentais na nossa vida, mas tem o seu valor ignorado ou subestimado.

Ele consiste em encontrar durante um dia cinco coisas que geralmente não são apreciadas e valorizadas e anotá-las. Podem ser pessoas, objetos ou sensações.

Por exemplo, a água que sai do chuveiro, a pessoa que recolhe o lixo, a coberta que nos aquece durante os dias frios, a energia elétrica que permite realizar atividades em qualquer horário ou o som emitido pelos pássaros.

Depois de escolher cinco coisas, separar um tempo para buscar o máximo de informações sobre elas e a importância que têm no dia a dia.

Como mostramos a prática da mindfulness pode proporcionar diversos benefícios, auxiliando os seus clientes a terem uma vida mais equilibrada e saudável. Com isso, eles serão capazes de desenvolver habilidades, controlar o estresse e tomar decisões estratégicas e conscientes para o futuro profissional.

Agora que você já sabe como usar a meditação mindfulness para o coaching, que tal compartilhar este artigo nas suas redes sociais e ajudar outras pessoas a ter acesso a essas informações?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X