Entenda a importância da ética profissional no trabalho do coach!

ética profissional

Para a construção de uma carreira de coaching duradoura, é necessário prezar por uma postura ética. Fundamentar toda a sua atuação profissional em um conjunto sólido de princípios e valores, como a manutenção do sigilo, a honestidade, o comprometimento, o respeito à privacidade alheia e a responsabilidade pelas próprias ações, faz a diferença na percepção de valor do seu trabalho.

Contudo, a adoção da ética profissional como valor inegociável também se estende para situações cotidianas menos óbvias, que são vivenciadas por profissionais de todas as áreas.

Considerando o interesse que essa questão desperta, principalmente em profissionais de coaching iniciantes, vou compartilhar neste post algumas dicas para o orientar na construção dessa postura. Vem comigo!

O que é ética profissional?

A ética profissional é, resumidamente, o ato de seguir os ditames da sua área de atuação sem violar nenhum dos seus princípios ou adotar algum tipo de atitude que denigra determinada classe de trabalhadores.

Abrange também a responsabilidade de oferecer seus conhecimentos de modo a contribuir com a sociedade de maneira honesta e íntegra.

Quais são os princípios da ética profissional do coaching?

Apesar de algumas práticas serem benéficas independentemente da área de atuação, é preciso prestar atenção nas particularidades de cada profissão.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Coaching, o comportamento ético deve ser pautado em certos princípios. Conheça alguns deles!

Honestidade e integridade

  • Aplicar o coaching com qualidade e honestidade de modo a protegê-lo e valorizá-lo perante a sociedade;
  • proteger a credibilidade do coaching por meio da sua própria melhoria contínua e busca pela excelência;
  • jamais utilizar os seus conhecimentos para prejudicar outros;
  • não se apropriar de conteúdos e materiais que não foram desenvolvidos por você, respeitando sempre os direitos autorais;
  • não distorcer informações para atrair clientes, sejam qualificações ou resultados esperados das sessões;
  • nunca manipular o processo de coaching para estendê-lo ou acelerá-lo desnecessariamente.

Sigilo e respeito

  • Jamais utilizar informações que lhe foram confiadas pelo cliente para prejudicá-lo ou obter benefícios próprios;
  • não permitir que julgamentos baseados em valores pessoais interfiram no trabalho;
  • sempre fundamentar a sua atuação na promoção da liberdade pessoal, integridade humana e igualdade;
  • não firmar compromissos que não pode cumprir ou manter;
  • descontinuar os processos de coaching quando a intervenção se mostrar inadequada para o problema, o cliente não alcançar os resultados esperados, exibir comportamento contrário aos valores do coaching ou houver conflito de interesses;
  • fornecer recursos para que o cliente avalie honestamente os seus resultados e evolução;
  • não levar o cliente a tomar decisões contrárias aos seus princípios ou que prejudiquem outras pessoas;
  • sempre estimular o desenvolvimento de autonomia e independência no cliente.

Contribuição social

  • Contribuir para o desenvolvimento de pessoas e organizações;
  • jamais utilizar linguagens e meios que contrariem os direitos humanos;
  • não se envolver em comportamentos que se contrapõem aos princípios morais, pois deverá manter uma atitude condizente com o que é manifestado pelo coaching.

Ter uma postura de ética profissional deve ser uma prioridade para todos aqueles que desejam construir carreiras sólidas e duradouras. Vale ressaltar que o melhor procedimento para quando surgirem dúvidas sobre a solução mais adequada para um impasse ético é o uso da empatia. Por isso, sempre preze pelos interesses e segurança dos seus clientes.

Gostou da nossa conversa? Então não perca os próximos conteúdos: siga meus perfis no Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn e YouTube!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X